Amamentação durante o tratamento do câncer

Amamentação durante o tratamento do câncer

A gravidez é um dos momentos mais bonitos e importantes na vida de uma mulher. Mas infelizmente, algumas mamães precisam ser muito fortes e enfrentar um câncer enquanto aguardam o nascimento do bebê ou mesmo no pós-parto.

O Dr. Anastasio Berrettini Junior, presidente da Comissão de Aleitamento Materno da Sociedade Brasileira de Mastologia, explica que a idade média da mulher que engravida tem aumentado gradativamente, e, inversamente, o diagnostico do câncer de mama tem acontecido em mulheres mais jovens. Por este motivo, muitas mulheres grávidas estão enfrentando a doença durante o período de gestação.

No caso das mulheres que estão recebendo quimioterapia ou hormonioterapia amamentar é proibido, pois as substâncias utilizadas nos tratamentos podem ocasionar uma série de efeitos adversos para os recém-nascidos, como por exemplo, a diminuição das células de defesa do organismo.

No entanto, o Dr. Anastasio Berrettini Junior comenta que após três semanas do término dos tratamentos o leite materno também deverá estar livre das substâncias químicas e a mulher poderá amamentar.

Além disso, a mamãe também pode cuidar das mamas durante a gravidez e no pós-parto parto com a utilização de calor. “Se possível, expor os mamilos ao sol durante 10 minutos ao dia. Caso contrário, a exposição deve ser feita por 10 minutos por dia com uma lâmpada de 40 watts a 15 cm do mamilo. E também evite cremes e pomadas, que podem diminuir a espessura do mamilo e facilitar as fissuras durante a amamentação”, finaliza.

 

Fonte: O Dr. Anastasio Berrettini Junior, presidente da Comissão de Aleitamento Materno da Sociedade Brasileira de Mastologia